Deep Blue


Deixe um comentário

O cansativo “Pão e Circo”

Cansei de assuntos fúteis na TV e Internet: BBB, Luiza do Canadá, “o que aconteceu na novela ontem”, pessoas se expondo na TV brasileira que insiste em se transformar em lixo cada vez mais. Um meio de comunicação tão importante que poderia ser usado para informar, levantar o interesse para assuntos realmente importantes do mundo, não faz mais nada do que contribuir para que as pessoas tenham cada vez mais preguiça de pensar no que é realmente importante nesse mundo, faz com que vivam alienadas e preocupadas com a vida das “celebridades”. Tenho medo dos novos “formadores de opinião” que vemos por aí. Acontece que um bando de gente fútil que resolveu se trancar por livre e espontânea vontade em uma casa é mais importante do que a criança na rua que passou a noite na Cracolândia procurando a última pedrinha de crack que caiu no chão. Todo mundo fala de Luiza, estupro ao vivo na Rede Globo, mas ninguém está muito preocupado com os problemas da vida real da sociedade. Não discutimos mais sobre o que seria a solução. Somos muitos, juntos teríamos força. O que será que poderíamos fazer se nos uníssemos em prol de uma causa verdadeiramente nobre? Mas estamos preocupados só com a nosso próprio bem estar e diversão. Pão e Circo… Somos todos muito egoístas e mimados.

Anúncios


4 Comentários

Tire as suas unhas do Facebook! Por favor.

Estou com medo de começar esse texto. Mas algumas coisas precisam ser ditas, por bem ou por mal. Acho que essa vai ser por mal e talvez eu perca uma tonelada de amigas depois dessa. Mas vou falar o que penso, afinal, quem avisa amiga é. E também, posso até perder a amiga… mas não a piada. Cada pessoa tem suas futilidades e idiotices, eu sei que eu também tenho as minhas, mas vamos lá: tirar foto da mãozinha recém-pintada segurando o esmalte Colorama “Papai Noel Verde Vermelho Vivo” e publicar no Facebook, não é bonito. Pode até ser perdoável se você tem idade para ler “Capricho”. Mas geralmente não é o caso. E pra ser sincera, eu prefiro um branquinho ou rosinha clarinho básico. Já tentei usar esmalte escuro e colorido, mas não adianta. Fica lindo por dez minutos na minha mão. E depois, eu começo a evitar olhar para as unhas Vermelho Estrela Mulher Maravilha e penso que se eu quiser colocar uma blusinha rosa, não vai combinar com o vermelho, e aí, pronto, já enjoei do esmaltinho fofo. Talvez porque eu seja pequena demais, então aquela coisa ensangüentada é demais para minha mão de criança. Então volto para o banheiro e gasto um litro de acetona tentando remover aquela porcaria que passei nas minhas unhas. Mas a quantidade de removedor de esmalte necessária para dar chá de sumiço naquilo é tão grande que eu começo a ficar meio doida e imaginar que elefantes cor-de-rosa em miniatura vão sair do frasquinho de Acetona Zulu, e aliás, eu deveria mesmo ter escolhido o esmalte rosa. Ou nada. Pensando bem, deveria ter parado na remoção da cutícula mesmo. E enquanto eu tento remover o esmalte vermelho semi-seco, tudo na minha mão e no banheiro começa a ficar melecado. Ao concluir a operação, a pia branquinha do banheiro está toda manchada e parece que alguém tentou cortar os pulsos com uma faca cega ali. Ou tentou assassinar alguém, mas a vítima acabou fugindo e o suspeito não teve paciência de remover todo o sanguinho que sobrou da cena do crime. Quando havia terminado de remover a cutícula, minha mão estava tão bonitinha… E mesmo sem nada, minhas unhas ficaram lixadas, bonitas e sem cutícula. Então da próxima vez que eu lixar as minhas unhas, remover cutícula, vou segurar um frasco de esmalte vazio, pegar o celular com a outra, tirar uma foto, publicar no Facebook e escrever: “Colorama Al Natural”.

(Clique aqui para ler o post anterior sobre o relato da minha experiência numa arena de Paintball).